segunda-feira, maio 14, 2007

Lucidez


Muita, toda, total, aqui.
Eduardo Lourenço para ver e ouvir, numa entrevista tratado ensaio que se lê de um fôlego - voltando atrás uma vez e outra, para melhor saborear.
De abrir os olhos e não os querer voltar a fechar.

A história de Portugal é, de facto, singular. Os portugueses foram para todo o lado, mas nunca saíram, levaram a casinha com eles. Fizeram a mesma coisa na Europa. Salvo uma elite, que se preocupava com o que se passava lá fora – e imitava ou recusava –, a todos os outros foi a Europa que lhes chegou: veio por aí abaixo com os caminhos-de-ferro.

Veja-se que o TGV francês já vai em 582 km/hora e o nosso ainda não saiu na estação. E até se percebe que o Governo hesite nestas opções, porque se calhar não há sequer gente que chegue para ir a Madrid.

A geração de 70 foi a primeira a dar-se conta de que, com o Sud-Express, a Europa lhe tinha chegado. Primeiro veio o Napoleão, depois algumas ideias e livros, e finalmente a Europa entrou materialmente por aqui dentro, como aconteceu em Espanha.

1 comentário:

dumb disse...

Por cá "pensa-se" muito antes de tomas uma decisão, demais até.

Mas se se pensa tanto porque é que não surgem ideias?