sexta-feira, janeiro 26, 2007

Mas sempre a favor da vida!


Na sua intervenção final, o Dr. Gentil Martins [mandatário do "não"] usou estas palavras, ditas em contexto público, referindo-se à morte de uma mulher por aborto clandestino e às estimativas de aborto clandestino no nosso país (nº de fetos abortados voluntariamente):
-O que é a morte de uma mulher comparada com a morte de 20.000 crianças?

Ainda que mais argumentos fossem necessários, qualquer discussão (séria) terminaria aqui.

Retirado dos Médicos pela Escolha.

3 comentários:

Tita disse...

Esqueceu-se de dizer "criancinhas inocentes" para dar ainda mais ênfase, e ar de vítimas, face a essa mulher pecadora...

Carla Luis disse...

Claro, porque é pela vida!
E é médico, esta criatura. Medo, muito medo!!!

Nia disse...

é a teoria da relatividade no seu auge!